Passeio Tóxico: Perguntas Frequentes

P: O que vai acontecer, exactamente?

primeiro cartaz

R: Vamos “visitar” algumas das empresas que andam a ganhar dinheiro à custa da destruição do clima. Como em qualquer outro “passeio”, queremos entrar nos seus escritórios, fazer perguntas sobre o seu trabalho e observar o ambiente em que trabalham para lixar o planeta.

*

P: Isto é legal?

R: Entrar em escritórios, sucursais ou galerias de empresas é legal. Estes são espaços privados de utilização pública (ao contrário, por exemplo, de uma residência privada). Eles podem não gostar de nos ter lá dentro, mas teremos de ver o que acontece.

*

P: Isto é perigoso?

R: As alterações climáticas são muito perigosas, sim. Ah, espera, estás a falar do passeio? Nada que se compare. Ainda assim, vamos tentar garantir que ninguém arrisca mais do que aquilo a que está dispost@ e que temos apoio para lidar com as possíveis consequências durante e depois do passeio.

*

P: Que empresas vamos visitar?

R: Está aqui o mapa

image4023_large

*

P: Como escolheram as empresas?

R: Há razões específicas para cada uma, que vamos explicar durante o passeio.

*

P: Há problema em chegar atrasado?

R: Por favor venham a horas. Antes do início do passeio vamos dar alguma informação práctica que pode ser útil.

*

P: Quanto tempo vai demorar o passeio?

R: O percurso demora cerca de meia hora, sem contar com as visitas às empresas. Se tod@s chegarem a tempo, esperamos acabar em cerca de duas horas. Mas é difícil prever exactamente.

*

P: É preciso pagar?

R: Não, mas se calhar podemos pedir patrocínio às empresas! Estamos a fazer algum tipo de publicidade, não é? De qualquer maneira, é só aparecer e trazer um(a) amig@. Já andamos a pagar demasiado pela crise das alterações climáticas, é tempo de fazermos as empresas a pagar.

*

P: Vai haver mais passeios?

R: Depende de como correr este. Estamos muito entusiasmad@s com a ideia e gostaríamos muito de a repetir noutros contextos e momentos, mas primeiro queremos experimentar.

*

P: Como me posso manter informad@ sobre estas acções?

R: Subscreve o nosso blog. Vai à nossa página no Facebook e procura os eventos. Depois, há muitas outras acções organizadas por outros grupos, que podes descobrir seguindo meios de comunicação alternativos como a Guilhotina.info, o Jornal Mapa e a Indymedia.

*

P: Depois dizem como correu?

R: Sim, mas ainda não sabemos se vai ser um vídeo ou só umas fotos.

*

P: Mas a sério, porque é que estão a fazer isto?

R: As empresas e os governos já passaram as linhas vermelhas de um planeta habitável. 2015 foi o ano mais quente alguma vez registado, tal como o foram os meses de Janeiro e Fevereiro deste ano. Desde a subida do nível do mar até à ocorrência de tempestades extremas, as alterações climáticas estão a acontecer agora e a necessidade de agir nunca foi tão urgente. Queremos introduzir e normalizar a desobediência civil como parte da luta pela justiça climática.

Climate-Games_1500

Advertisements