Precariedade? Nem para os Estivadores, nem para ninguém!

O Sindicato dos Estivadores, Trabalhadores do Tráfego e Conferentes Marítimos do Centro e Sul de Portugal (SETC) conseguiu um acordo histórico no passado dia 27 de Maio. Os Estivadores estavam em greve pela desactivação da ETP, uma empresa de trabalho portuário intermediária na contratação de estivadores para as empresas de estiva, que detém as concessões de terminais portuários. Com o acordo alcançado, a ETP não pode recrutar mais estivadores, e os 15 trabalhadores que atualmente se encontram à sua responsabilidade serão integrados, no prazo máximo de 2 anos, nos quadros da Associação de Empresas de Trabalho Portuário de Lisboa (AETPL).

A ideia desta ETP é servir de instrumento para implementar contratos de trabalho precários e com baixos salários a trabalhadores que teriam as mesmas funções de quem já trabalha nos portos através da AETPL e com condições dignas. Distinguir para dividir é o lema destas empresas intermediárias na contratação que, ao praticarem condições de trabalho diferentes das que já se praticavam, têm como única intenção precarizar e pôr os trabalhadores em posições de força diferentes; colocando-os uns contra os outros [e] para com isto conseguir o fim das lutas em defesa do valor do trabalho.13344590_615917081894360_3614804557227803574_n

Os estivadores conseguiram uma vitória e quiseram aproveitar o momento para continuar a luta e estendê-la a todas e todos os que sofrem diariamente com a precariedade, convocando para isso uma manifestação para dia 16 de Junho, às 18h no Cais do Sodré.

O Climáximo apoia esta manifestação e junta-se à luta pelo trabalho com direitos e pela vida[s] com dignidade.climaximo logo

Junta-te a nós nesta luta!

Advertisements