Tecer Linha Vermelha

linha-vermelha
O que é esta acção?

Até ao último trimestre de 2017 serão tecidas ou tricotadas, por todo o país, Linhas Vermelhas por um futuro verde.

Depois vamos unir todas as Linhas Vermelhas numa só, num evento que se irá realizar na altura da Cimeira do Clima de 2017.

Recentemente em Portugal foram feitas várias concessões para a prospecção e exploração de petróleo e gás natural, às escondidas da população e inclusive, das autarquias locais.

Este é o nosso limite, a nossa Linha Vermelha!

Porquê uma linha vermelha?

Esta linha vermelha quer ajudar a tornar visível a voz dos que têm dito e repetido – NÃO – à prospecção e exploração de hidrocarbonetos – aqui e no mundo. Já chegámos ao limite de um paradigma energético baseado em combustíveis fósseis.

Vamos falar a uma só voz e dizer, através da linha vermelha, que já chegámos ao limite e que não o devemos ultrapassar!

Vamos dar um sinal claro em como queremos proteger o nosso planeta, pois ele ficará de herança para os nossos filhos e netos.

Como vai acontecer?

Desde Novembro de 2016, a Academia Cidadã e o Climáximo estão a contactar retrosarias, artesãos, associações, ateliers de tempos livres e pessoas do mundo do crochet e tricot.

Após estes contactos iremos falar com centros de dia, escolas de artes, cafés e juntas de freguesia, com o intuito de se realizarem eventos públicos para se tecer a linha vermelha e se falar sobre este tema.

Por último, iremos abordar figuras públicas para darem a cara pela campanha e também eles tecerem a sua própria linha vermelha.

Em 2018, após a campanha iremos reaproveitar as Linhas Vermelhas fazendo mantas e cachecóis que servirão para dar a quem mais necessita.

Inspiração

Queremos que Portugal siga o exemplo da Suécia e que invista em energias renováveis, caminhando para uma economia livre de combustíveis fósseis. Não necessitamos de extrair mais do planeta, temos é que investir nas alternativas.

Porquê?
  • Porque 2014 e 2015 foram os anos mais quentes, desde que há registos.
  • Porque dos dez anos mais quentes desde que há registo, nove foram desde 2000, e o décimo foi 1998.
  • Porque Portugal não tem qualquer direito de compra preferencial, nem de preço preferencial, sobre o que for extraído, ou seja, se quisesse comprar o “seu” petróleo, ou “o seu” gás natural, teria que pagar o preço de mercado.

Neste momento ainda não há extracção de combustíveis fósseis em Portugal. Algumas empresas querem começar a prospecção e a extracção em breve. Todas as concessões são baseadas em contratos rudimentares, sem quaisquer considerações sérias sobre impactos ambientais, económicos e sociais, excepto os lucros que podem gerar para as empresas envolvidas.

Na melhor das hipóteses, estes senhores nunca ouviram falar das alterações climáticas.

***

aqui como podes participar.

Mais sobre o projeto: Tecer Linha Vermelha

tecer-linha-vermelha

 

Advertisements