Programa do 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática

Pagina principal do 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática, aqui.


Dia 15 de Março, sexta-feira, 21h30

Sessão especial: Clima, Justiça Social e Direitos Humanos

Nesta sessão que abre o 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática, contamos com duas presenças muito especiais: Daiara Tukano, dos Tukano do Alto Rio Negro, no Brasil, activista, artista, investigadora e pensadora sobre direitos humanos e causas indígenas; e Daniela Ferreira, em representação do movimento estudantil que em Portugal mobilizou estudantes em mais de 20 cidades para a primeira Greve Climática Estudantil, no próprio dia 15 Março. Estas duas mulheres lembram-nos, de pontos de vista muito diferentes, as articulações profundas entre as mudanças do clima, a justiça social, e um sistema socioeconómico que prioriza o lucro das empresas em vez do bem-estar das pessoas.0 Sessão_Especial

  • Daiara Tukano, do povo Tukano do Alto Rio Negro, é activista indígena e artista plástica, mestre em direitos humanos pela Universidade de Brasília, pesquisadora do direito à memória e verdade dos povos indígenas; comunicadora independente e coordenadora da Rádio Yandê, primeira web-rádio indígena do Brasil. Daiara acredita que o activismo é um exercício pela consciência para a integração com a natureza, para que possamos trabalhar juntos a cultivar uma sociedade mais justa e respeitosa das diversidades, honrando a dignidade de todos os seres vivos.
    Daiara iniciará em Lisboa uma tournée por várias cidades europeias, organizada pela Coordenação Justiça Climática Social/Suíça e com apoio do Coletivo Memória, Verdade e Justiça Rhône Alpes / França.
  • Daniela Ferreira é licenciada em Bioquímica pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e na FCT e FCM da NOVA frequenta o mestrado em Fitotecnologia Nutricional para a saúde humana. Daniela é uma das organizadoras da Greve Climática Estudantil e é também activista de vários colectivos como Climate Save Portugal, Associação Vegetariana Portuguesa e Climáximo.

Dia 16 de Março, sábado, 10h00 – 19h30

Sessões Públicas

10h00 Plenário inicial

Vamos Virar a Maré!

2019 está a ser um ano que promete muito para as lutas pela justiça climática. Ou o contrário: as lutas estão a prometer muito para 2019.

Com Greve Climática Estudantil a 15 de Março, Rebelião de Extinção em Abril e o acampamento de acção contra gás CampinGás em Julho, Portugal está a acompanhar várias dinâmicas internacionais que visam encaminhar-se para uma acção ibérica massiva em 2020.

Este ano, o 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática terá três dias intensos dedicados às linhas de frente e à estratégia da luta.

10h30 Novos portos e aeroportos: o acelerar da crise climática!

com activistas da SOS Sado e Plataforma Cívica Aeroporto BA6 Montijo Não

Nesta sessão vamos discutir dois novos mega-projetos em Portugal: o novo aeroporto planeado para o Montijo e as dragagens no estuário do Sado, com o intuito de criar um novo porto de águas profundas em Setúbal. Ambos os sectores, da aviação e do transporte marítimo, têm tido os maiores aumentos em termos de emissões de gases de efeito de estufa nos últimos anos.1 Portos e Aeroportos

Estes projectos foram decididos sem qualquer participação pública, à revelia das populações e até contra a oposição de parte do poder local. A sua concretização trará grandes impactos ambientais para dois dos estuários mais importantes da Europa em termos de biodiversidade, o Tejo e o Sado, além de todos os impactos sobre as populações locais, não só em termos de ruído e poluição atmosférica, como até de perda de actividade económica, como a pesca ou o turismo de natureza.

Nesta sessão pretende-se partilhar informação sobre ambos os temas, bem como criar pontes entre os vários movimentos que lutam contra este modelo económico de crescimento a todo o custo e fomentar a discussão sobre modelos alternativos de desenvolvimento sustentável!

10h30 Exploração de Gás em Portugal: onde estamos?

com activistas do Camp in Gás e Movimento do Centro contra a Exploração de Gás

2 exploração gásDepois do furo de Aljezur ser cancelado, a luta contra a exploração de gás em Aljubarrota e na Bajouca é a grande causa climática de 2019 em Portugal! As populações locais mobilizam-se e exercem a sua cidadania para travar a Australis Oil & Gas. Vamos entender como as populações locais, em contacto com movimentos nacionais, se estão a mobilizar para parar estes furos. As Câmaras municipais estão a favor? E as juntas de freguesia? Como se está a fazer esta luta? Vem saber tudo sobre esta causa, que é de todxs!


12h30 Um Plano Social para Transição Justa

com activistas da campanha Empregos para o Clima

Há quem negue que as alterações climáticas existam. Entre quem não o faz, há quem pense na solução de formas criativas: negociando acordos mundiais não vinculativos que nos deixam num caminho para o aquecimento galopante e sem retorno; ou traçando roteiros vagos para neutralidade carbónica que não estipulam medidas concretas, enquanto dão licenças para a exploração de hidrocarbonetos e deixam encerrar uma fábrica de painéis solares em Moura (Beja) enviando mais de 100 pessoas para o desemprego. Mas felizmente também existem alguns planos sérios, com medidas específicas, e que pensam nos impactos sociais e humanos desta transição, como o Green New Deal nos EUA.  Em Portugal existe também um plano colectivo para esta transição. Chama-se Empregos para o Clima, e está a ganhar força.

12h30 Direito do Ambiente

com activistas do Movimento do Centro contra a Exploração de Gás e da PALP – Plataforma Algarve Livre de Petróleo

O Direito do Ambiente é o ramo que estuda as interacções do homem com a natureza e que prevê os mecanismos legais para a protecção do meio ambiente. Nesta sessão, pretende-se, a partir de uma perspectiva crítica, explorar este ramo do Direito, esclarecer os seus mecanismos de protecção e perceber de que forma se articulam com os direitos de participação cívica.

Além disso, vamos ainda discutir alguns casos práticos recentes, envolvendo importantes lutas ambientais, a forma como estas têm sido argumentadas a nível jurídico e as várias estratégias legais possíveis neste tipo de situações.”


13h30 Almoço vegano


15h00 À Beira da Extinção, O Que Fazer?

com activistas da Rebelião de Extinção (Extinction Rebellion Portugal)

5 XR TalkO planeta está numa crise ecológica: estamos no meio da sexta extinção em massa. Os e as cientistas alertam que podemos ter entrado num período de caos climático. Isto é uma emergência global sem precedentes. O país e as populações estão sob um risco grave.

Nesta apresentação pública, vamos partilhar a ciência climática mais actual, discutir o ponto de situação das políticas climáticas e oferecer soluções de acordo com estudos dos movimentos sociais.

15h00 De pernas para o ar: como uma solução com esteróides se torna uma catástrofe

com Rios Livres GEOTA e Acréscimo

Muitas boas soluções para a crise climática são destruídas quando lhe são aplicados critérios de rentabilidade e escala: desde barragens em rios cada vez mais secos e sem vida à queima de florestas para produzir electricidade. Porque é importante reconhecer o limite no qual uma boa ideia se transforma num potencial catástrofe ecológica e até climática, discutimos como a lógica mercantil destrói as boas soluções e como precisamos de soluções que respondam às crises sem agravá-las.


17h30 Clima em Movimento: mobilizações globais

com activistas da Greve Climática Estudantil, Rebelião de Extinção, Ende Gelände, Camp-in-Gás e By 2020 We Rise Up)

O ano de 2019 está a prometer muito em termos de lutas pela justiça climática. Ou o contrário: estas lutas estão a prometer muito para 2019.

Com a Greve Climática Estudantil a 15 de Março, a Rebelião de Extinção em Abril, o Ende Gelände na Alemanha em Junho e o acampamento de acção contra a exploração de gás Camp–in–Gás em Julho, estão a surgir várias dinâmicas nacionais e internacionais que visam criar uma escalada de mobilização até 2020.

Nesta sessão, vamos ter uma mesa redonda com activistas destes movimentos, para discutirmos junt@s como podemos vencer.

7 CLIMA EM MOVIMENTO_ MOBILIZAÇÕES GLOBAIS


21h30 Festa Benefit para a PALP

no Sirigaita (Rua dos Anjos, 12F, Intendente, Lisboa)

Vem celebrar a vitória do furo de Aljezur, perceber o ponto de situação e conversar sobre os próximos passos com copos e música.

8 Festa_PALP

 

Advertisements

One thought on “Programa do 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática

  1. Pingback: 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática – Climáximo

Comments are closed.