Programa do 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática

Pagina principal do 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática, aqui.


Dia 15 de Março, sexta-feira, 21h30

Sessão especial: Clima, Justiça Social e Direitos Humanos

Nesta sessão que abre o 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática, contamos com duas presenças muito especiais: Daiara Tukano, dos Tukano do Alto Rio Negro, no Brasil, activista, artista, investigadora e pensadora sobre direitos humanos e causas indígenas; e Daniela Ferreira, em representação do movimento estudantil que em Portugal mobilizou estudantes em mais de 20 cidades para a primeira Greve Climática Estudantil, no próprio dia 15 Março. Estas duas mulheres lembram-nos, de pontos de vista muito diferentes, as articulações profundas entre as mudanças do clima, a justiça social, e um sistema socioeconómico que prioriza o lucro das empresas em vez do bem-estar das pessoas.0 Sessão_Especial

  • Daiara Tukano, do povo Tukano do Alto Rio Negro, é activista indígena e artista plástica, mestre em direitos humanos pela Universidade de Brasília, pesquisadora do direito à memória e verdade dos povos indígenas; comunicadora independente e coordenadora da Rádio Yandê, primeira web-rádio indígena do Brasil. Daiara acredita que o activismo é um exercício pela consciência para a integração com a natureza, para que possamos trabalhar juntos a cultivar uma sociedade mais justa e respeitosa das diversidades, honrando a dignidade de todos os seres vivos.
    Daiara iniciará em Lisboa uma tournée por várias cidades europeias, organizada pela Coordenação Justiça Climática Social/Suíça e com apoio do Coletivo Memória, Verdade e Justiça Rhône Alpes / França.
  • Daniela Ferreira é licenciada em Bioquímica pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e na FCT e FCM da NOVA frequenta o mestrado em Fitotecnologia Nutricional para a saúde humana. Daniela é uma das organizadoras da Greve Climática Estudantil e é também activista de vários colectivos como Climate Save Portugal, Associação Vegetariana Portuguesa e Climáximo.

Dia 16 de Março, sábado, 10h00 – 19h30

Sessões Públicas

10h00 Plenário inicial

Vamos Virar a Maré!

2019 está a ser um ano que promete muito para as lutas pela justiça climática. Ou o contrário: as lutas estão a prometer muito para 2019.

Com Greve Climática Estudantil a 15 de Março, Rebelião de Extinção em Abril e o acampamento de acção contra gás CampinGás em Julho, Portugal está a acompanhar várias dinâmicas internacionais que visam encaminhar-se para uma acção ibérica massiva em 2020.

Este ano, o 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática terá três dias intensos dedicados às linhas de frente e à estratégia da luta.

10h30 Novos portos e aeroportos: o acelerar da crise climática!

com activistas da SOS Sado e Plataforma Cívica Aeroporto BA6 Montijo Não

Nesta sessão vamos discutir dois novos mega-projetos em Portugal: o novo aeroporto planeado para o Montijo e as dragagens no estuário do Sado, com o intuito de criar um novo porto de águas profundas em Setúbal. Ambos os sectores, da aviação e do transporte marítimo, têm tido os maiores aumentos em termos de emissões de gases de efeito de estufa nos últimos anos.1 Portos e Aeroportos

Estes projectos foram decididos sem qualquer participação pública, à revelia das populações e até contra a oposição de parte do poder local. A sua concretização trará grandes impactos ambientais para dois dos estuários mais importantes da Europa em termos de biodiversidade, o Tejo e o Sado, além de todos os impactos sobre as populações locais, não só em termos de ruído e poluição atmosférica, como até de perda de actividade económica, como a pesca ou o turismo de natureza.

Nesta sessão pretende-se partilhar informação sobre ambos os temas, bem como criar pontes entre os vários movimentos que lutam contra este modelo económico de crescimento a todo o custo e fomentar a discussão sobre modelos alternativos de desenvolvimento sustentável!

10h30 Exploração de Gás em Portugal: onde estamos?

com activistas do Camp in Gás e Movimento do Centro contra a Exploração de Gás

2 exploração gásDepois do furo de Aljezur ser cancelado, a luta contra a exploração de gás em Aljubarrota e na Bajouca é a grande causa climática de 2019 em Portugal! As populações locais mobilizam-se e exercem a sua cidadania para travar a Australis Oil & Gas. Vamos entender como as populações locais, em contacto com movimentos nacionais, se estão a mobilizar para parar estes furos. As Câmaras municipais estão a favor? E as juntas de freguesia? Como se está a fazer esta luta? Vem saber tudo sobre esta causa, que é de todxs!


12h30 Um Plano Social para Transição Justa

com activistas da campanha Empregos para o Clima

Há quem negue que as alterações climáticas existam. Entre quem não o faz, há quem pense na solução de formas criativas: negociando acordos mundiais não vinculativos que nos deixam num caminho para o aquecimento galopante e sem retorno; ou traçando roteiros vagos para neutralidade carbónica que não estipulam medidas concretas, enquanto dão licenças para a exploração de hidrocarbonetos e deixam encerrar uma fábrica de painéis solares em Moura (Beja) enviando mais de 100 pessoas para o desemprego. Mas felizmente também existem alguns planos sérios, com medidas específicas, e que pensam nos impactos sociais e humanos desta transição, como o Green New Deal nos EUA.  Em Portugal existe também um plano colectivo para esta transição. Chama-se Empregos para o Clima, e está a ganhar força.

12h30 Direito do Ambiente

com activistas do Movimento do Centro contra a Exploração de Gás e da PALP – Plataforma Algarve Livre de Petróleo

O Direito do Ambiente é o ramo que estuda as interacções do homem com a natureza e que prevê os mecanismos legais para a protecção do meio ambiente. Nesta sessão, pretende-se, a partir de uma perspectiva crítica, explorar este ramo do Direito, esclarecer os seus mecanismos de protecção e perceber de que forma se articulam com os direitos de participação cívica.

Além disso, vamos ainda discutir alguns casos práticos recentes, envolvendo importantes lutas ambientais, a forma como estas têm sido argumentadas a nível jurídico e as várias estratégias legais possíveis neste tipo de situações.”


13h30 Almoço vegano


15h00 À Beira da Extinção, O Que Fazer?

com activistas da Rebelião de Extinção (Extinction Rebellion Portugal)

5 XR TalkO planeta está numa crise ecológica: estamos no meio da sexta extinção em massa. Os e as cientistas alertam que podemos ter entrado num período de caos climático. Isto é uma emergência global sem precedentes. O país e as populações estão sob um risco grave.

Nesta apresentação pública, vamos partilhar a ciência climática mais actual, discutir o ponto de situação das políticas climáticas e oferecer soluções de acordo com estudos dos movimentos sociais.

15h00 De pernas para o ar: como uma solução com esteróides se torna uma catástrofe

com Rios Livres GEOTA e Acréscimo

Muitas boas soluções para a crise climática são destruídas quando lhe são aplicados critérios de rentabilidade e escala: desde barragens em rios cada vez mais secos e sem vida à queima de florestas para produzir electricidade. Porque é importante reconhecer o limite no qual uma boa ideia se transforma num potencial catástrofe ecológica e até climática, discutimos como a lógica mercantil destrói as boas soluções e como precisamos de soluções que respondam às crises sem agravá-las.


17h30 Clima em Movimento: mobilizações globais

com activistas da Greve Climática Estudantil, Rebelião de Extinção, Ende Gelände, Camp-in-Gás e By 2020 We Rise Up)

O ano de 2019 está a prometer muito em termos de lutas pela justiça climática. Ou o contrário: estas lutas estão a prometer muito para 2019.

Com a Greve Climática Estudantil a 15 de Março, a Rebelião de Extinção em Abril, o Ende Gelände na Alemanha em Junho e o acampamento de acção contra a exploração de gás Camp–in–Gás em Julho, estão a surgir várias dinâmicas nacionais e internacionais que visam criar uma escalada de mobilização até 2020.

Nesta sessão, vamos ter uma mesa redonda com activistas destes movimentos, para discutirmos junt@s como podemos vencer.

7 CLIMA EM MOVIMENTO_ MOBILIZAÇÕES GLOBAIS


21h30 Festa Benefit para a PALP

no Sirigaita (Rua dos Anjos, 12F, Intendente, Lisboa)

Vem celebrar a vitória do furo de Aljezur, perceber o ponto de situação e conversar sobre os próximos passos com copos e música.

8 Festa_PALP

 

Advertisements

Convidad@s especiais do 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática

Daiara Tukano

na Sessão Especial: Clima, Justiça Social e Direitos Humanos (dia 15 de Março, 21h30)

daiaraDaiara Tukano, do povo Tukano do Alto Rio Negro, é activista indígena e artista plástica, mestre em direitos humanos pela Universidade de Brasília, pesquisadora do direito à memória e verdade dos povos indígenas; comunicadora independente e coordenadora da Rádio Yandê, primeira web-rádio indígena do Brasil. Daiara acredita que o activismo é um exercício pela consciência para a integração com a natureza, para que possamos trabalhar juntos a cultivar uma sociedade mais justa e respeitosa das diversidades, honrando a dignidade de todos os seres vivos.

Daiara iniciará em Lisboa uma tournée por várias cidades europeias, organizada pela Coordenação Justiça Climática Social/Suíça e com apoio do Coletivo Memória, Verdade e Justiça Rhône Alpes / França.

Daniela Subtil

na sessão Clima em Movimento: mobilizações globais (dia 16 de Março, 17h30)

Daniela iniciou-se no activismo pela justiça climática com o Climáximo em 2015. A viver na Alemanha desde 2017, tem participado nas acções de desobediência civil contra a mineração de lignite na Renânia (Alemanha) e desde há um ano integra o grupo de trabalho internacional do Ende Gelände. O movimento Ende Gelände faz parte da campanha By 2020 We Rise Up e está a organizar uma acção em Junho de 2019.

Javier Andaluz

na sessão Clima em Movimento: mobilizações globais (dia 16 de Março, 17h30)

javier

Javier é licenciado em Ciências Ambientais pela Universidade de Salamanca e especialista em Direitos Humanos. É actualmente responsável da área de alterações climáticas nos Ecologistas en Acción de Espanha, e faz parte da organização da By 2020 We Rise Up na península ibérica.


Para voltar à página principal do 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática, clica aqui.

Ciclone – Ciclo de cinema climático

Exibição do filme Disruption, seguido de momento de discussão e reflexão sobre Alterações Climáticas.

Dia 9 de março às 21.00 no Centro Comercial STOP;
Dia 12 de março às 09:15 na Escola Secundária Gaia Nascente;
Dia 14 de março às 21:00 na Faculdade de Belas Artes.

Climáximo Porto

Eventos no Facebook, aqui.

Synopsis

‘When it comes to climate change, why do we do so little when we know so much?’

Through a relentless investigation to find the answer, Disruption takes an unflinching look at the devastating consequences of our inaction.

The exploration lays bare the terrifying science, the shattered political process, the unrelenting industry special interests and the civic stasis that have brought us to this social, moral and ecological crossroads.The film also takes us behind-the-scenes of the efforts to organize the largest climate rally in the history of the planet during the UN world climate summit.

This is the story of our unique moment in history. We are living through an age of tipping points and rapid social and planetary change. We’re the first generation to feel the impacts of climate disruption, and the last generation that can do something about it. The film enlarges the issue beyond climate impacts and makes a compelling call for bold action that is strong enough to tip the balance to build a clean energy future.

Formação na rede de ação jovem da Amnistia Internacional

No dia 16 de Fevereiro fomos dar uma pequena formação aos activistas da REAJ (rede de acção jovem) da Amnistia Internacional. Nesta formação falámos da ligação que existe entre alterações climáticas e direitos humanos, no fundo introduzimos o conceito de “justiça climática”.

Para os activistas da REAJ a ligação entre os direitos humanos e alterações climáticas era bastante lógica, especialmente pelos refugiados climáticos. O que já não era tão óbvio mas que foi fácil de perceberem, foi a injustiça e a discrepância entre o norte global e o sul global em termos de responsabilidades nas emissões e também nos povos em risco.

Obrigado à REAJ pelo interesse no tema alterações climáticas.

This slideshow requires JavaScript.

4º Encontro Nacional pela Justiça Climática

Vamos Virar a Maré!

2019 está a ser um ano que promete muito para as lutas pela justiça climática. Ou o contrário: as lutas estão a prometer muito para 2019.

Com Greve Climática Estudantil a 15 de Março, Rebelião de Extinção em Abril e o acampamento de acção contra gás CampinGás em Julho, Portugal está a acompanhar várias dinâmicas internacionais que visam encaminhar-se para uma acção ibérica massiva em 2020.

Este ano, o 4º Encontro Nacional pela Justiça Climática terá três dias intensos dedicados às linhas de frente e à estratégia da luta.

Vamos abrir o encontro sexta-feira à noite com uma sessão especial com Daiara Tukano, do povo Tukano do Alto Rio Negro, sobre violações de direitos humanos contra os povos indígenas no Brasil e justiça climática.

No sábado, vamos ter connosco activistas de vários movimentos numa série de sessões sobre exploração de gás na Zona Centro,Empregos para o Clima, o novo projecto de aeroporto no Montijoo novo porto de águas profundas em SetúbalRebelião de Extinçãobarragens, floresta e biomassa; e à noite vamos ter uma festa benefit em favor da Plataforma Algarve Livre de Petróleo, para celebrar a vitória do cancelamento do furo de Aljezur.


Programa completo e descrições das sessões aqui.

Mais informação sobre @s convidad@s especiais, aqui.


Domingo vai haver uma reunião de trabalho do acampamento Camp-in-Gás e vamos também preparar a Semana Internacional de Rebelião.

cartaz 4 encontro nacional pela justiça climática 04

Reunião aberta: Camp in Gás

Dia 3 de março, Domingo, 17h00, GAIA-Lisboa (Rua da Regueira 40, Alfama)

As preparações do Acampamento de Ação contra Gás Fóssil e pela Justiça Climática, Camp in Gás, estão a bombar! 🙂camp-in-gas_logo

Já temos o sítio e a data confirmados. Agora vamos com toda a força à logística e ao conteúdo.

Queremos preparar este acampamento coletivamente, em conjunto com toda a gente interessada em participar nesta luta. Com esta reunião de trabalho, estamos a abrir o processo preparatório do acampamento.

Aparece!

À Beira da Extinção, O Que Fazer?

 

REBELIÃO DE EXTINÇÃO
Semana Internacional de Rebelião 15-21 de abril

O planeta está numa crise ecológica: estamos no meio da sexta extinção em massa. Os e as cientistas alertam que podemos ter entrado num período de caos climático. Isto é uma emergência global sem precedentes. O país e as populações estão sob um risco grave.

Nesta apresentação pública, vamos partilhar a ciência climática mais atual, discutir o ponto de situação das políticas climáticas e oferecer soluções de acordo com estudos dos movimentos sociais.

Toda a gente é bem-vinda e vamos ter bastante tempo para perguntas e comentários. A entrada é livre mas pedimos donativos para cobrir as despesas de viagem d@s oradorxs, se puderes.

Links para os eventos de Facebook:
https://www.facebook.com/pg/climaximopt/events/

*

Queres marcar uma apresentação no teu bairro / na tua escola / na tua faculdade / na tua associação? Fala connosco.

*

Mais informações:
https://rebellion.earth

Reunião aberta: Camp in Gás

Dia 30 de janeiro, quarta-feira, 19h00, GAIA-Lisboa (Rua da Regueira 40, Alfama)

camp-in-gas_logoDepois da vitória contra o furo de petróleo de Aljezur, a próxima paragem serão as infraestruturas e novos projetos de gás fóssil. Juntamo-nos a outros grupos na preparação de um acampamento de ação contra gás fóssil e pela justiça climática.

O acampamento chama-se Camp in Gás. Podes encontrar mais informações sobre o acampamento e a problemática do gás em: www.camp-in-gas.pt

Queremos preparar este acampamento coletivamente, em conjunto com toda a gente interessada em participar nesta luta. Com esta reunião de trabalho, estamos a abrir o processo preparatório do acampamento.

Filme e debate: O Plano (2018)

Dia 25 de janeiro, 21h00, Sirigaita (Rua dos Anjos 12F, Intendente, Lisboa)

Projeção de filme, com presença do realizador Steve Sprung.

the plan poster

Sinopse: Há 40 anos, um grupo de engenheiros qualificados enfrentavam a crise, austeridade e ameaça de encerramento da fábrica onde trabalhavam. Responderam com um plano radical, desenhando vários produtos socialmente úteis, sustentáveis e pró-ambientais em alternativa ao armamento militar que a fábrica produzia. Este filme atreve-se a perguntar como poderia ser hoje em dia a nossa vida, se o Plano dos trabalhadores da Lucas não tivesse sido obstruído.

O filme “O Plano” conta a história da luta dos trabalhadores da Lucas que produziram um plano de transição e auto-gestão para a fábrica em que trabalhavam: um plano que visaria a alteração da produção de componentes de aviões para turbinas eólicas, questionando a forma em que o trabalho estava organizado e para que servia esta produção.logo_epc_azul-on-background

Hoje, com a crise climática, nós também precisamos dum plano nosso para uma transição energética justa. Depois do filme (versão curta de duração 30 minutos), vamos discutir que políticas seriam necessários em Portugal para evitarmos o caos climático.

Sessão de Encerramento dos IV Encontros Internacionais Ecossocialistas

Vídeo da Sessão de Encerramento dos IV Encontros Internacionais Ecossocialistas

com

  • Sinan Eden, da organização e do Acampamento de Ação contra Gás Fóssil e pela Justiça Climática Camp-in-Gas
  • Paula Sequeiros, da organização e do Eixo 5. Ecofeminismos
  • Ana Mourão, da campanha Empregos para o Clima e oradora do Eixo 3. O Trabalho na Era das Alterações Climáticas
  • Kevin Buckland, do coletivo Gastivists e da campanha By 2020 We Rise Up.

Para voltar para documentação completa dos IV Encontros Internacionais Ecossocialistas, clica aqui.