Virar a Maré

Fluímos juntos rumo a 2020

Vamos juntar-nos para uma escalada a longo prazo da ação pela justiça climática e pela mudança de sistema!

A crise climática anda já em cima de nós. A meta de 1.5 graus é uma questão de vida e de morte para milhões de pessoas. Atingi-la requer que os estados industrializados estejam numa via de redução antes de 2020.by2020

Em vez disso, os estados estão a encorajar ainda a extração e o uso dos combustíveis fósseis. E este é apenas um dos desafios que enfrentamos.

Para a mudança acontecer, as nossas ações precisam de escalar em massa e de serem vistas como uma luta comum.

Vamos juntar as nossas lutas locais diversas – contra as minas, oleodutos ou gasodutos, contra a produção de plástico e a agroindústria, contra bancos e fronteiras. Não lutamos contra questões isoladas – juntas e juntos lutamos contra as infindáveis destruições que ameaçam o ambiente, as discriminações e as desigualdades produzidas pelo sistema capitalista.

Vamos juntar-nos a uma enorme mobilização pela justiça climática e pela mudança de sistema, culminando num levantamento massivo em 2020.

Ao mesmo tempo estamos a lançar as fundações para uma nova sociedade baseada no cuidado mútuo a cada pessoa e ao planeta. Estamos a criar redes resilientes com que possamos cultivar e produzir, partilhar e cuidar.

Eis alguma ideias sobre como tudo isto poderá parecer:

Agora: Preparar para começar

Planear as nossas lutas locais com estratégias para escalar e alargar com o tempo, começar talvez em ponto pequeno mas com objetivos ambiciosos – imaginar já como podem crescer, envolver novas aliadas e formas radicais ao longo do tempo. Estratégias locais a prazo mais longo vão facilitar os esforços em curso para coordenar as nossas lutas – seja através da partilha de habilidades, de mobilizações descentralizadas ou de convergências de massas.

2019: Ganhar impulso

Onde já forem possíveis, as ações de massas inspiram e treinam a nossa habilidade para mobilizar uma enorme quantidade de pessoas. Conferências, acampamentos, encontros, delineiam a nossa visão de um futuro habitável além do lucro.

2020: Levantamento

Para 2020, e para as batalhas que hão-de vir, mobilizamos uma enorme quantidade de pessoas contra diversos alvos por toda a Europa para ações de massas de desobediência civil. De forma não violenta mas ainda mais determinada, levantamo-nos pela justiça climática global.

Tanto resistindo como construindo, entretecemos as linhas das nossas lutas para mostrar o quadro geral sobre como queremos viver em conjunto – em 2020 e mais além.

A campanha de 2020 é um apelo a desenvolver uma perspetiva de longo prazo e a procurar convergências. Não sabemos ainda o que vai acontecer ao certo, mas sabemos que queremos estar, que temos de estar juntos e juntas…

Mudar o Sistema e não o Clima

http://by2020weriseup.net/

Advertisements

Klimacamp Viena: Movimento europeu pela justiça climática

Climáximo esteve no acampamento pelo clima (Klimacamp) em Viena. Participámos nas oficinas, ações e também na reunião da rede Climate Justice Action.

Climaximo in Klimacamp, Viena from Climaximo on Vimeo.

Klimacamp 2018//embedr.flickr.com/assets/client-code.js

Climate Games 2018//embedr.flickr.com/assets/client-code.js


Queremos partilhar com tod@s @s ativistas os planos de ação para os próximos meses e anos. (Vamos também discutir um pouco sobre como #pararofuro. 😉 )

15 de junho, sexta-feira, às 20h00

GAIA-Lisboa: Rua da Regueira 40, Alfama, Lisboa

NB: Isto também é o jantar de despedida da Olha, a melhor ativista ucraniana em Lisboa. 🙂

13 picknick

***

O que é o Jantar Popular?
– Um Jantar comunitário vegano, biológico e LIVRE DE OGMs que se realiza no GAIA, Rua da Regueira, n 40, em Alfama.
– Uma iniciativa inteiramente auto-gerida por voluntários.
– Um jantar em que podes colaborar e aprender a cozinhar vegano! Para cozinhar e montar a sala basta aparecer a partir das 18h. Jantar “servido” a partir das 20h.
– Um projecto autónomo e auto-sustentável. As receitas do Jantar Popular representam o fundo de maneio do GAIA que mantém assim a sua autonomia.
– Um jantar onde ninguém fica sem comer por não ter moedas e onde quem ajuda não paga. O preço nunca é mais de 3 pirolitos.
– Um exemplo de consumo responsável, com ingredientes que respeitam o ambiente, a economia local e os animais.
– Uma oportunidade para criar redes, trocar conhecimentos e pensar criticamente.

JANTAR POPULAR e CONVERSA: Movimento Internacional pela Justiça Climática: Onde estamos?

n-CLIMATE-MARCH-large5701

A luta pela justiça climática está a avançar no Plane Stupid, no Ende Gelände, no Kuzey Ormanlari Savunmasi (Defesa das Florestas do Norte, Turquia), no Break Free, na ZAD, nas campanhas pelos transportes públicos, pela soberania energética e pelos empregos climáticos.

Uma das redes dos movimentos de base, Climate Justice Action (que também foi um dos organizadores da ação das Linhas Vermelhas na COP-21) vai reunir-se em Amesterdão para discutir alguns próximos passos.

Duas ativistas do Climáximo vão participar nesta reunião e voltarão para partilhar connosco as suas experiências no dia 22 de Março, no GAIA-Lisboa (Rua da Regueira 40, Alfama).

Que ações e campanhas estão a ser planeadas no nível internacional? O que podemos fazer em Portugal? Como podemos ligar as lutas e construir um movimento mundial?

*

O evento no Facebook, aqui.

*

O que é o Jantar Popular?
  • Um Jantar comunitário vegano, biológico e LIVRE DE OGMs que se realiza no GAIA, Rua da Regueira, n 40, em Alfama.
  • Uma iniciativa inteiramente auto-gerida por voluntários.
  • Um jantar em que podes colaborar! Para cozinhar e montar a sala basta aparecer a partir das 18h. Jantar “servido” a partir das 20h.
  • Um projecto autónomo e auto-sustentável. As receitas do Jantar Popular representam o fundo de maneio do GAIA que mantém assim a sua autonomia.
  • Um jantar onde ninguém fica sem comer por não ter moedas e onde quem ajuda não paga. O preço nunca é mais de 3 pirolitos.
  • Um exemplo de consumo responsável, com ingredientes que respeitam o ambiente, a economia local e os animais.
  • Uma oportunidade para criar redes, trocar conhecimentos e pensar criticamente.

Posição do Climáximo sobre COP-21

Em Dezembro de 2015 vai realizar-se a Conferência do Clima em Paris (COP-21).

Revemo-nos nas palavras do Climate Space:

“Sabemos o que irá sair de Paris e não será a mudança de sistema que queremos, mas sim mais poder corporativo, mais mercados de carbono e mais soluções tecnológicas perigosas que levarão à financeirização da natureza. Sabemos o que irá sair de Paris, e que não significará deixar os combustíveis fósseis no subsolo, mas antes conceitos ambíguos, como “zero emissões líquidas”, que abrirão a porta à geoengenharia.”

Não há maneira de escaparmos ao que já é uma realidade: temos de reduzir as emissões de gases de efeito de estufa em 80% ao nível mundial para evitar um aumento de 2ºC da temperatura global, o que alteraria drasticamente as condições de habitabilidade para milhões de pessoas em todo o planeta.climatespacephoto

Tomando parte na Climate Justice Action, pretendemos “usar as negociações da COP em Paris como um momento de luta coletiva pelo clima e a justiça social:

  • Queremos democratizar o discurso climático e alargar o foco, de mudanças climáticas para uma mudança de sistema.
  • Com atos de desobediência criativa vamos enfatizar o potencial real de alternativas e confrontar o sistema falhado do capitalismo.
  • Esta será uma celebração de unidade na diversidade.
  • Paris será uma experiência poderosa e revitalizante que continuará a construir o nosso movimento e a amplificar as vozes das comunidades afetadas, em 2015 e para além dele.”

Vamos mobilizar-nos em Portugal e no mundo inteiro, seguindo o calendário de mobilização internacional.

Na COP-21, vamos participar nos Jogos do Clima (Climate Games):

“Em Dezembro de 2015, o poder corporativo vai apostar numa jogada de alto risco nas negociações do clima da ONU. Os grupos de pressão da indústria fóssil e os agentes comerciais de falsas soluções conspiram para dominar a cimeira. Mas desta vez será diferente: os movimentos globais de Blockadia vão convergir para obstruir as suas atividades corrosivas, interceptar a sua influência e removê-los da política.quitfossil

Prepara-te para o maior jogo de aventura de ação direta de desobediência civil não violenta do mundo nas ruas de Paris, no ciberespaço e mais além.”

Vem às nossas reuniões, envia-nos um mail, contacta-nos no Facebook, participa no movimento internacional para a justiça social e climática.

Climáximo COP-21 Perspective

In December 2015 the UN Climate Summit COP-21 will take place in Paris.

Together with Climate Space,

“We know what is going to come out of Paris and it is not going to be the system change that we want but more corporate power, more carbon markets, and more dangerous techno fixes that will lead to the financialization of nature. We know what is going to come out of Paris and it will not be about leaving fossil fuels under the ground, but will be about ambiguous concepts like “net zero emissions” that will open the door to geo-engineering.”

There is no way to ignore what is already a reality: we have to reduce global greenhouse gas emissions by 80% to avoid a temperature rise of 2°C which would drastically worsen the planetary living conditions for millions of people and all living beings on Earth.climatespacephoto

As part of Climate Justice Action, we aim “to use the COP talks in Paris as a moment to collectively fight for climate and social justice:

  • We want to democratise the climate discourse and expand the focus from climate change to system change.
  • With acts of creative disobedience we will emphasise the real potential of alternatives and confront the broken system of capitalism.
  • This will be a celebration of unity in diversity.
  • Paris will be an empowering, galvanising experience which continues to build our movement and amplify the voices to affected communities, through and beyond 2015.”

We will mobilize in Portugal and around the world, following the international mobilization calendar.

At the COP-21, we will participate in the Climate Games:

“In December 2015, corporate power will play a high-risk gamble with the UN climate talks. Fossil fuel lobbyists and the peddlers of false solutions are already conspiring to overwhelm the COP21 summit in Paris. But it won’t be business-as-usual this time: the global Blockadia movements will converge to obstruct their corrosive activities, intercept their influence, and chase them out of politics.quitfossil

Get ready for the world’s largest non-violent civil disobedience direct action adventure game in the streets of Paris, in cyberspace and beyond.”

Come to our meetings, send us an email, reach us via Facebook, take part in the international movement for social and climate justice.

PS: We are also planning to go to Paris for the Red Lines action on December 12th. Keep tuned!