Petróleo é má onda! – Wrap-up

No dia 7 de julho, mais de 25 praias encheram-se com protestos contra o furo de Aljezur e contra a prospeção e exploração de petróleo e gás em Portugal.

mapaAs ações foram auto-organizadas em cada local, e partilhadas com o hashtag #PetróleoÉMáOnda . Um excerto da convocatória:

Convocamos um cordão humano de surfistas, body boarders e nadadores … para reclamar o espaço do mar como espaço público de todos e contestar a prospecção de hidrocarbonetos promovida pelo estado português que avança em contrasenso e sem estudos ambientais, contra a opinião dos seus habitantes.

Por um futuro sem furos e pela protecção do ecossistema partilhado por todos, somos a favor da transição energética para as renováveis e descarbonização do país, especialmente tendo em conta os incríveis recursos naturais que temos, como as ondas, o vento e o sol.

Por uma política energética verde e pela liberdade de todos: Petróleo é Má Onda!

Partilhamos aqui algumas fotos e notícias desta linda ação:


This slideshow requires JavaScript.


Na comunicação social:

Para ficares a par das próximas ações, subcreve a newsletter em http://www.pararofuro.pt

Advertisements

Solidariedade com o SNTSF e Convocátoria para o cordão humano no dia 28 de janeiro

Screenshot from 2016-01-28 15:36:23
A notícia da ação aqui: SIC Notícias

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário (SNTSF) convocou uma greve e um cordão humano para dia 28 de janeiro (quinta-feira) contra a recente privatização da CP-Carga. A concentração será às 10h30 em frente à sede da empresa.

Subscrevemos os motivos do sindicato para esta jornada de luta:

Razões de fundo, considerando que os Sectores Estratégicos da nossa economia devem estar nas mãos do Estado e que o transporte ferroviário de mercadorias é um Sector Estratégico;

Razões circunstanciais, face ao processo de privatização em concreto, com inúmeras situações irregulares e ilegais, onde se destaca a questão amplamente denunciada de a empresa ser vendida por 2 milhões depois de o Estado a capitalizar em mais de 116 milhões.”

O Climáximo solidariza-se com a luta do SNTSF. O caminho para um planeta justo e habitável passa pelo controlo público dos sectores mais responsáveis pelas emissões de gases de efeito de estufa.

Assim, consideramos que há também razões climáticas para a luta do SNTSF:

A exclusão da aviação civil e transporte marítimo do Acordo de Paris na COP-21 traduzir-se-á num desmantelamento gradual do sector ferroviário em prol daqueles sectores poluidores, simplesmente porque os governos decidiram ignorar as emissões deles.

Pelo contrário, do que nós precisamos urgentemente é duma transformação profunda da nossa sociedade para reduzir as emissões. Esta transformação vai exigir muito trabalho. Para este fim, defendemos a criação de centenas de milhares do novos postos de trabalho no sector público, para liderar a transição justa para um futuro sustentável – “Empregos Climáticos”.

Por isso convidamos tod@s a juntarem-se a nós no dia 28 de janeiro às 10h30 em frente à sede da CP-Carga, na Av. da Republica nº 66.

todos publicos