Mesa Redonda: Alterações Climáticas e Transportes Públicos

 iseg poster
Dia 31 de março, quinta-feira, às 18h
ISEG: Rua do Quelhas 6, 1200-781 Lisboa (Anfiteatro 3)

Para evitar alterações climáticas irreversíveis e catastróficas temos de parar de emitir gases de efeito de estufa (GEE) urgentemente. Mais concretamente, em 15 anos, teremos de reduzir as emissões de GEE para mais de metade globalmente, e em dois terços em Portugal. Isto vai implicar uma transformação radical na forma como as nossas sociedades funcionam.

Em termos nacionais, o sector dos transportes perfaz cerca de um quarto das emissões de GEE. Desde o aumento da utilização dos transportes individuais até ao desmantelamento e privatizações das ferrovias, a questão dos transportes públicos é essencial para a justiça climática.

O sector dos transportes requer grande investimento e controlo por parte do Estado. Só assim, poderão tornar-se eficientes, massificados e acessíveis, garantindo simultaneamente um planeta justo e habitável.

Nesta mesa redonda, abordaremos a situação atual do sector dos transportes em Portugal, as suas ligações à sustentabilidade, e propostas de políticas relativas a estas questões por parte da sociedade civil.

Com a participação de:

  • Manuel Coelho, Investigador SOCIUS
  • João Vieira, Presidente da Federação Europeia para os Transportes e Ambiente (T&E)
  • José Manuel Oliveira, coordenador nacional da FECTRANS (Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações)
  • João Camargo, Climáximo

Moderação: Sofia Bento, SOCIUS

O evento no Facebook, aqui.

Advertisements

Solidariedade com o SNTSF e Convocátoria para o cordão humano no dia 28 de janeiro

Screenshot from 2016-01-28 15:36:23
A notícia da ação aqui: SIC Notícias

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário (SNTSF) convocou uma greve e um cordão humano para dia 28 de janeiro (quinta-feira) contra a recente privatização da CP-Carga. A concentração será às 10h30 em frente à sede da empresa.

Subscrevemos os motivos do sindicato para esta jornada de luta:

Razões de fundo, considerando que os Sectores Estratégicos da nossa economia devem estar nas mãos do Estado e que o transporte ferroviário de mercadorias é um Sector Estratégico;

Razões circunstanciais, face ao processo de privatização em concreto, com inúmeras situações irregulares e ilegais, onde se destaca a questão amplamente denunciada de a empresa ser vendida por 2 milhões depois de o Estado a capitalizar em mais de 116 milhões.”

O Climáximo solidariza-se com a luta do SNTSF. O caminho para um planeta justo e habitável passa pelo controlo público dos sectores mais responsáveis pelas emissões de gases de efeito de estufa.

Assim, consideramos que há também razões climáticas para a luta do SNTSF:

A exclusão da aviação civil e transporte marítimo do Acordo de Paris na COP-21 traduzir-se-á num desmantelamento gradual do sector ferroviário em prol daqueles sectores poluidores, simplesmente porque os governos decidiram ignorar as emissões deles.

Pelo contrário, do que nós precisamos urgentemente é duma transformação profunda da nossa sociedade para reduzir as emissões. Esta transformação vai exigir muito trabalho. Para este fim, defendemos a criação de centenas de milhares do novos postos de trabalho no sector público, para liderar a transição justa para um futuro sustentável – “Empregos Climáticos”.

Por isso convidamos tod@s a juntarem-se a nós no dia 28 de janeiro às 10h30 em frente à sede da CP-Carga, na Av. da Republica nº 66.

todos publicos