Quinzena da Ação “Jogam com as nossas vidas” – Relato Final

Entre 24 de outubro e 6 de novembro, 17 iniciativas em 8 cidades portuguesas trouxeram à agenda pública as várias lutas pela justiça social e climática, numa quinzena da ação convocada pela campanha Empregos para o Clima.

Unidade em diversidadeseminario_cgtp_quinzena-600x338

Nestas duas semanas, tivemos a incrível oportunidade de demonstrar as nossas diversas formas de ação. Mais de 10 organizações (sindicatos, ONGs, iniciativas cidadãs, movimentos de base) juntaram-se à chamada e prepararam as ações que melhor resultariam nos seus contextos: ações de sensibilização; exposições; ações diretas; bancas; formações; debates; flash-mobs; protestos; oficinas; projeções de filmes; etc.

A mesma luta107

Este momento foi igualmente importante para acentuar o sistema socioeconómico que explora, simultaneamente, a natureza e os trabalhadores. A Quinzena ajudou-nos a unir as nossas vozes contra o capitalismo, sublinhando as suas diferentes faces. Alguns dos tópicos trazidos à discussão foram transportes públicos, exploração de petróleo e gás, tratados de comércio livre, transição justa, centrais de carvão, alterações climáticas, movimentos sociais, práticas sustentáveis e empregos dignos na transição energética.

E agora?

Os primeiros passos dos Empregos para o Clima foram dados há um ano atrás. A campanha foi posteriormente lançada, com apoio de 4 organizações, nas marchas do 1º maio, tendo sido esta quinzena de ação mais um marco assinalável da campanha. Contudo, o desafio é enorme! Como sugerido no título do livro da Naomi Klein, temos que “mudar tudo” para ganhar a luta pela justiça climática e, citando também a autora, “para mudar tudo, precisamos de todxs!”.img_20161029_222646-600x450

Então, o nosso próximo passo tem que ser mais forte e mais abrangente.

Vamos agora chegar a mais pessoas, aprofundar os objetivos da campanha e contactar mais organizações. Se queres envolver-te, clica aqui.

Eventos

Abaixo, segue uma lista das iniciativas:

cartaz-jogam-com-nossas-vidas-01

Advertisements

Ação direta na EDP contra central de carvão em Sines

Ação do Climáximo na EDP contra central de carvão | Climáximo action at EDP against coal plant from Climaximo on Vimeo.

O Climáximo, movimento pela justiça climática, fez uma ação direta performativa na tarde do dia 26 de outubro, na loja da EDP em Marques de Pombal (Lisboa) contra a central termo-elétrica de carvão de Sines.

Os ativistas sublinharam que, no contexto das alterações climáticas, continuar usar carvão na produção de eletricidade é um jogo negro com o planeta Terra e com as populações do todo mundo. No dia 26 de setembro pelas 18 horas, os ativistas entraram a loja, vestindo como empregados da EDP, e jogaram com dados em que estavam escritas palavras como “secas”, “tempestades”, “mais aquecimento”, “poluição” etc._dsc3718

A central de Sines, uma das mais poluentes de toda a Europa [1], produz mais de 10% de todas as emissões de dióxido de carbono (CO2) nacionais. [2] Demais, o uso do carvão pela EDP aumentou nos últimos anos. [3]

Os recentes investimentos pela EDP na central [4] não fazem sentido, quando 90% de carvão nas reservas conhecidas devem ser deixados de baixo do solo. [5] Um dos ativistas, Pedro Lima, explicou que o proporção do carvão no consumo energético ficou igual nos últimos dez anos e que EDP tem a maior responsabilidade em bloquear a transição energética. Lima ainda acrescentou que a imagem da EDP ser muito verde e investir em energias renováveis é só fachada (chamada “greenwashing”) e que a EDP-Renováveis tem minúsculo investimento em Portugal.

Os ativistas acentuaram a urgência duma transição justa para as energias renováveis para travar o aquecimento global dentro dos limites aos que os ecosistemas da terra conseguem adaptar.img_3253

Esta ação é integrada na Quinzena da Ação “Jogam com as Nossas Vidas”, em que vários grupos e coletivos no todo o país estão a organizar iniciativas para reinvidicar justiça social e ambiental.

Mais informação e contactos:
Ver: o nosso panfleto sobre a EDP e o artigo de Luis Fazendeiro
Climáximo: climaximo.wordpress.com
Quinzena da Ação, Jogam com as Nossas Vidas: empregos-clima.pt

ENG
Lisbon, Portugal, 26/10/2016 | Protest at EDP offices against the Sines coal plant (Energies of Portugal, formerly state managed energy company, now privatized), one of the top polluting coal plants in Europe. Despite EDP’s greenwashing, its investment in renewables in Portugal in minuscule.

_mg_3271

[1] greensavers.sapo.pt/2014/07/22/central-termoelectrica-de-sines-entre-as-mais-poluentes-da-europa/
[2] zero.ong/zero-identifica-as-10-instalacoes-mais-poluentes-para-o-ar-e-a-agua-em-portugal/
[3] expresso.sapo.pt/economia/economina_energia/edp-duplica-producao-de-eletricidade-a-partir-do-carvao=f921324
[4] dinheirodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=204928
[5] carbonbrief.org/meeting-two-degree-climate-target-means-80-per-cent-of-worlds-coal-is-unburnable-study-says

Falemos de furos – Documentário Petróleo no DocLisboa

Dia 26 de outubro, às 21h30
Cinema São Jorge, Lisboa
DocLisboa

defesa-do-mar

[Atenção que existe um erro na programação oficial, o filme e o debate não serão no dia 24 nem 25 de Outubro, mas sim no dia 26]

Em total displicência para com o iminente esgotamento de recursos naturais finitos, Portugal é vítima de perfuração para prospecção de petróleo que, existindo, será monopolizado e mercantilizado por grandes grupos económicos. Um olhar sobre a situação portuguesa e uma reflexão consciente das reais consequências climatéricas deste encaminhamento, a partir de formas de organização social que prevejam a utilização de recursos alternativos e almejem além das imposições legalistas.

Sessão seguida de debate com a presença de João Camargo (Climáximo), Sónia Balacó (Peniche Livre de Petróleo) e Ângela Rosa (Tavira em Transição), moderado por Miguel Ribeiro e Ana Pereira

Falemos de Furos – Portugal e o Petróleo
João Camargo
2016 | Portugal | 8’

Disobedience
Kelly Nyks
2016 | EUA / USA | 41’

RSVP o evento na Agenda pelo Clima:
https://actionnetwork.org/events/filme-no-doclisboa-falemos-de-furos

Alguns fotos da sessão:

img_3786

img_3785

img_3783

img_3782

img_3781

Quinzena de Ação: “Jogam com as Nossas Vidas”

cartaz-jogam-com-nossas-vidas-01

 

Quinzena de Ação: “Jogam com as Nossas Vidas”

24 outubro – 6 novembro

Organizações de trabalhadores e grupos de ambientalistas vão participar numa Quinzena de Ação pela justiça social e ambiental.

Conscientes de que os responsáveis pela crise económica e pela crise ambiental são os mesmos, estes grupos irão juntar-se sob o lema “Jogam com as Nossas Vidas”. Querem com isso chamar atenção para que, todos os dias, os decisores do atual sistema socioeconómico “jogam” com as vidas das pessoas, explorando até ao limite os trabalhadores e os recursos naturais para maximizar os seus lucros, sem a devida preocupação com os impactos na sociedade e no planeta. Para uma transição justa de um mundo precário para um mundo sustentável, é hora de inverter este jogo.

Esta quinzena de ação descentralizada junta organizações de todo o país, que trazem as suas lutas para um momento e causa comuns, amplificando as vozes umas das outras. As áreas de ação propostas incluem o trabalho precário, a prospeção e exploração de combustíveis fósseis, as alterações climáticas, os transportes públicos, práticas sustentáveis, acordos de comércio livre (como o TTIP e o CETA) e o papel dos empregos dignos numa transição justa.

Organizações de Évora, Lisboa, Loulé, Peniche, Porto e Tavira estão a preparar iniciativas, e mais irão juntar-se.

Tratando-se de uma iniciativa descentralizada, os organizadores convidam tod@s a planearem jogos/ações/protestos contra a precariedade laboral e ambiental, pelo emprego digno e um futuro sustentável.

Os eventos serão divulgados no sítio da campanha “Empregos para o Clima”, no endereço https://www.empregos-clima.pt , onde foi também lançada uma convocatória às organizações:

http://www.empregos-clima.pt/evento/quinzena-de-acao-jogam-com-as-nossas-vidas/

Para mais informações e questões: contacto@empregos-clima.pt